política de privacidade MA Hospitalar

Quando fazer a manutenção dos equipamentos hospitalares?

Uma mulher fazendo a manutenção dos equipamentos hospitalares

Quem atua no setor da saúde sabe que a eficiência no ambiente hospitalar está diretamente conectada com o bom funcionamento dos equipamentos médicos. Além de garantir a continuidade dos serviços e sua vida útil dos dispositivos, a manutenção também visa a segurança das pessoas.

Um ponto importante é que a frequência da manutenção (corretiva ou preventiva), depende do tipo de equipamento, da intensidade do uso e das recomendações do fabricante. Mas, como regra geral, elas são obrigatórias e devem ser feitas conforme os direcionamentos legais do Ministério de Saúde e da ANVISA.

Qual deve ser a frequência das manutenções?

Além de seguir as normas legais e os direcionamentos do fabricante, como comentamos acima, existem outros fatores que influenciam nos períodos da manutenção e podem ajudar você a determinar o momento da manutenção. Para isso, observe: 

Indicadores de Desempenho

Monitorar indicadores de desempenho, como tempo médio entre falhas (MTBF) e tempo médio para reparo (MTTR), pode ajudar a identificar quando a manutenção é necessária. Se os indicadores começarem a mostrar um aumento nas falhas ou no tempo de inatividade do equipamento, isso pode ser um sinal de que a manutenção é necessária.

Feedback da equipe clínica

A equipe clínica pode identificar problemas ou sinais de desgaste que podem não ser aparentes em uma inspeção padrão. Portanto, é importante solicitar feedback regular da equipe para ajudar a determinar quando a manutenção é necessária.

Eventos adversos

Qualquer evento adverso relacionado ao equipamento, como falhas durante procedimentos médicos ou incidentes de segurança do paciente, deve ser investigado imediatamente. Esses eventos podem indicar a necessidade de manutenção corretiva ou ajustes no plano de manutenção preventiva.

Um médico mexendo em um equipamento hospitalar
Crédito: FreePik

Qual a diferença entre manutenção preditiva e corretiva?

Apesar dos dois procedimentos serem amplamente conhecidos no setor hospitalar, vale revisitar as diferenças entre eles e seus objetivos. Veja só:

A manutenção preventiva, como o próprio nome sugere, tem um caráter proativo. Através de inspeções periódicas, lubrificações, limpezas e calibrações regulares, busca-se identificar e corrigir pequenas falhas antes que se transformem em problemas maiores. 

Já a manutenção corretiva entra em cena quando um problema já se manifestou. Nesses casos, a equipe técnica especializada atua para diagnosticar a falha e repará-la o mais rápido possível, restaurando a funcionalidade do equipamento.

A manutenção dos equipamentos e uma boa gestão hospitalar

Equipamentos mal conservados podem representar riscos graves à saúde dos pacientes, atrasar procedimentos, gerar diagnósticos imprecisos e aumentar custos associados à reparação dos dispositivos.

Com organização e planejamento, fica mais fácil garantir que os ativos da instituição permaneçam em condições ideais para uso. Neste contexto, o gerenciamento passa pela criação de um cronograma, com priorização e mapeamento do que deve ser analisado.

De forma resumida, o plano pode ser dividido nessa ordem:

  • Planejamento e programação: que indica o que deve passar por uma vistoria, os setores em que se encontram e os prazos em que as manutenções devem ser feitas.
  • Execução: que envolve inspeções de rotina, substituições de peças desgastadas, reparação de falhas e a realização de testes de funcionamento.
  • Monitoramento e Controle: análise de indicadores que ajudam a avaliar a eficácia das estratégias de manutenção e identificar áreas de melhoria.

É importante que esse processo seja visto como um pilar estratégico da instituição, não apenas como uma obrigação legal ou um custo a ser minimizado. 

Ao adotar uma cultura que cuida da manutenção, a instituição garante a qualidade dos serviços, conscientiza os funcionários sobre o uso e ainda permite que a experiência do paciente não fique em segundo plano.

Como a manutenção dos equipamentos ajuda no inventário?

Um inventário hospitalar é um registro detalhado e sistemático de todos os bens e ativos presentes em uma instituição de saúde e serve para garantir o controle dos recursos.

Quando a manutenção dos equipamentos é eficaz, ela oferece um histórico e informações precisas, que permitem que os gestores acompanhem a vida útil dos aparelhos e, principalmente, tomem decisões estratégicas sobre investimentos e substituições. 

Quem deve fazer a manutenção dos equipamentos?

Esta é uma tarefa complexa, que exige profissionais qualificados e experientes, além do uso de ferramentas adequadas. De acordo com a RDC nº 2/2010 da ANVISA, a manutenção deve ser feita por especialistas, internos ou contratados externamente.

De forma geral, quem faz a manutenção são engenheiros e técnicos com formação específica. Além das manutenções, realizam o controle de qualidade dos equipamentos, o monitoramento de desempenho e o descarte seguro —  uma questão fundamental, pois evita a contaminação do meio ambiente e a proliferação de doenças.

Além disso, os equipamentos hospitalares que possuem parâmetros mensuráveis devem ser calibrados periodicamente, de acordo com as recomendações do fabricante.

Como os colaboradores podem ajudar nesse contexto?

Por fim, existe uma questão que não pode escapar quando se fala na manutenção dos equipamentos hospitalares: a capacitação adequada para os profissionais que vão usá-los. 

Seja por meio de workshops e treinamentos, certifique-se de que o time responsável consiga operar os equipamentos corretamente, de forma segura e com eficiência. 

Funcionários treinados estão mais propensos a buscar formas de melhorar os processos, ajudam a identificar oportunidades de otimização e a implementar melhores práticas do setor. Como eles estão na linha de frente e usam essas ferramentas no dia a dia, de certa forma, também garantem que a vida útil dos equipamentos seja maior.

Este artigo foi útil? A MA Hospitalar possui um time de especialistas em manutenção de equipamentos, que está pronta para ajudar a sua instituição sempre que necessário. Entre em contato conosco e saiba mais.

Sumário

Newsletter

Inscreva-se para receber nossa Newsletter

Newsletter
Aceite